Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Os contos de fada como instrumentos de superação das dificuldades de “encontro” na escola



 por Vania Longo

No ambiente escolar, alguns motivos levam os alunos a se “desencontrar”, desmotivando-se pelo estudo, não se interessando pelas matérias ensinadas, tampouco pelas aulas ministradas, não estabelecendo vínculo com os colegas, apresentando apatia diante das tarefas, ritmo lento ou acelerado em relação à turma, demonstrando dificuldades  na aprendizagem, logo, estando sujeitos à reprovação, o que agrava ainda mais o quadro discorrido.

Observamos que invariavelmente os estudantes não estão devidamente mediados para a aprendizagem, os conteúdos apresentados não falam para a essência, para a “alma”, a escola e a família não conseguem interessá-los, despertá-los para uma vida interior que faça conexão com o conhecimento sistematizado pelas ciências e assim são fortalecidos os motivos para a “desistência”, apatia, desinteresse.
 
Sabemos que nesse momento, a percepção e intervenção do professor são diferenciais no estreitamento de um vínculo que pode reaproximar, orientar e incentivar a retomada das tarefas. A intervenção do professor pode ser feita utilizando os contos de fada e para isso é necessário: a disponibilidade interna em tentar e uma aproximação do universo dos contos para conhecer as possibilidades de auxílio que estes oferecem.

Os contos de fada inseridos no contexto das aulas podem significar ao aluno a “acolhida” do professor, um alento às dificuldades encontradas, o professor “compreende esse momento delicado em que se encontra o pupilo e o “aceita” sem distinção, o apoia, disponibiliza-se em ajudar/orientar sem desmerecer a gravidade das dificuldades nem tão pouco a capacidade de superá-las.

Pesquisar sobre os contos de fada como instrumentos de superação das dificuldades do aluno no universo escolar, como um recurso do professor para sintonização dessas dificuldades e a utilização dos mesmos como viabilizadores de superação, é um desafio que me encanta e desperta a vontade de poder contribuir com a formação deste profissional.

A pesquisa, os projetos, os cursos, a contação de histórias para as crianças, adolescentes e adultos movem um interesse autêntico que me levou a desenvolver uma metodologia própria de intervenção psicopedagógica junto a alunos do ensino fundamental do 1º ao 5º ano.

Esta metodologia encontrou eco quando cursei uma disciplina na USP – ministrada pelo professor doutor Gilberto Safra autor de um livro intitulado: Curando com Histórias; neste livro ele publicou seu trabalho na clínica psicológica que consistia em atender crianças e seus respectivos pais com queixas de “sofrimento, desadaptação, etc.” Ele ouvia a queixa e a partir daí “montava um história que contava a experiência da criança seguida de superação e entregava esta história para os pais contarem à criança”. Depois de um determinado período de acompanhamento verificava que a “cura havia sido processada” e o processo terapêutico se resumia a quatro sessões no máximo.

Ler este livro me revelou que alguém mais além de mim acreditava que era possível abreviar o sofrimento com uma intervenção pontual; mostrou mais, que eu intuíra um processo parecido e o havia aplicado na escola e já o intitulava “curando as dificuldades de aprendizagem com histórias” – este é o projeto que tomou corpo e passou a ser minha tese de mestrado.

O curso que ministro no momento – apresenta esta metodologia que tem base teórica na psicologia e na psicopedagogia emolduradas pela base dos contos de fadas da tradição oral.

Oferece recursos para compreender a dinâmica da criança que “sofre” na escola ou que demonstra o sofrimento existencial no ambiente escolar.

Demonstra possibilidades de intervenção para orientação da criança, dos professores com ela envolvidos e com a família; assim, observa-se a melhora em curto espaço de tempo e a alegria em ver a criança retomar sua energia, sua saúde psíquica e a capacidade de aprender livre de amarras, não tem preço.

Referências
Vania Longo – Psicóloga com 26 anos de experiência, pós-graduada em Psicopedagogia pela Metodista e em Educação a Distância pelo SENAC; Professora no Ensino Superior - Graduação e Pós Graduação; desenvolve vários projetos envolvendo os contos de fadas junto a alunos de todos os níveis de ensino, professores nos cursos de formação continuada, pais etc. – área de estudo e projeto de mestrado: “Os contos como possibilidade de cura nas dificuldades escolares”  
Para saber mais acesse: http://www.facebook.com/vania.longo.5 ou encaminhe um e-mail para – vania_longo2412@hotmail.com

Livro
Curando com Histórias - Gilberto Safra.

Posts Relacionados


(clique na imagem para ampliá-la)

2 comentários:

Vania Longo disse...

Agradeço imensamente ao Fábio Lisboa que disponibilizou este espaço para divulgação da minha pesquisa e trabalho! Tamanha receptividade tem valor inestimável! Aproveito para informar que a 5ª turma deste Curso de Contação de Histórias - teve início hoje - foi um sucesso - uma turma maravilhosa! As pessoas que tiverem interesse ainda podem se inscrever e participar a partir do 2º encontro. Informações: 4344-2080 ou pelo e-mail: vania_longo2412@hotmail.com

Fabio Lisboa disse...

E eu agradeço a sua disposição em escrever este texto para o blog e desejo que o sucesso de suas histórias seja Longo, Vania :) !

Postar um comentário