Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

História real – Homem e cão (John e Shep) no lago: uma história de amor, compaixão e retribuição


Hannah Stonehouse Hudson / Stonehouse Photography

História real recontada por Fabio Lisboa

“Este é Shep de 19 anos, sendo aconchegado nos braços de seu pai no início desta semana no Lago Superior. Shep adormece todas as noites, quando ele é transportado para dentro do lago. Ele está com artrose o que causa uma dor crônica e a dor é amenizada quando John o carrega nos braços desta forma, na água. O Lago Superior está mais quente neste verão, o que torna a temperatura de suas águas perfeita.

Eu fiquei tão feliz em poder guardar este momento para John. Aliás, John salvou Shep ainda filhote com somente 8 meses de idade, e ele tem sido sua companhia, ao seu lado, em muitas aventuras, desde então. [Agora John retribui de forma maravilhosa ao seu grande amigo, já idoso e doente!] [pronuncia-se “Shep”, no entanto, a escrita adotada por John Unger é “Schoep”].”

Texto traduzido do mural do facebook da fotógrafa Hannah Stonehouse Hudson [que em português virou “BELA FOTO, BELA HISTÓRIA!]”.

Em tempos em que a maioria das imagens e ideias repassadas nas redes sociais é descartável e a grande mídia se empenha em retratar a exaustão crimes, tragédias e a degradação humana e ambiental, uma imagem de compaixão de um homem por um animal é vista e compartilhada por milhares de pessoas, e quem sabe, um dia, se tornará uma história ainda mais conhecida.

Mas qual é a história por trás da imagem?

Vinte anos atrás, um homem e sua noiva resgatam um cão bebê. O cachorrinho foi maltratado pelos antigos donos e agora não confia nos homens. O homem, John Unger, já teve várias crises de depressão e sabe bem o que significa não confiar mais na humanidade.

Ele se esforça para conquistar a confiança do bebê canino nas primeiras noites e muitas noites depois, ficando acordado até o pequeno dormir. John conta que às vezes ficava de quatro “para que Schoep me visse como outro cachorro, e não como um homem que tentaria machucá-lo de novo”.

Aos poucos o amor entre as duas espécies se fortalece. Ao mesmo tempo, o amor entre o homem e a mulher esvanece. John e sua noiva rompem e Shep fica sendo o único companheiro do homem. Algum tempo depois da separação, John cai em sua mais profunda crise de depressão.

Quando os cães falam a língua da compaixão
Arquivo pessoal John Unger
Com o coração cansado, John Unger não tem mais vontade nem de levar Schoep para seus passeios noturnos. Numa dessas noites sombrias, ele decide ir com o cão até o Lago Michigan, disposto a cometer suicídio: “Eu fiquei uma hora olhando para o lago, pensando na vida e cheguei a um ponto em que pensei: ‘ok, agora é a hora’. E olhei para baixo para o Schoep e eu não sei o que era... ele me olhou como nunca tinha me olhado antes. Eu penso nisso agora e sei que ele sabia que algo estava errado.”.

Talvez o homem tenha pensado: o amor não acabou! Ainda existe um ser que me ama incondicionalmente. Por causa das crises, John não conseguia manter-se num emprego ou sequer sair de casa, muitas vezes a comida era rala e os passeios, poucos. Mas nada disso importava para Shep, seu amigo estava sempre ao seu lado, demonstrando companheirismo e afeto.

Mas John estava prestes a abandonar o seu amigo. Se ele se fosse, será que Schoep iria sobreviver? Será que o cão nunca mais iria confiar em outro ser humano? John talvez tenha se lembrado do tempo da compaixão que teve por seu amigo, quando este ainda era filhote e indefeso. Talvez tenha pensado que ao envelhecer o seu parceiro de vida voltaria a ficar indefeso. Precisaria dele de novo.

Em frente ao lago, naquele momento, só com o olhar, era como se o cachorrinho demonstrasse o tanto que um amava o outro. O tanto que um amaria e precisaria do outro, até que a morte os separasse – mas não tão cedo. Os dois não se despediriam ainda...

O pequeno amigo canino trouxe John Unger de volta à vida! Eles andaram a noite toda e viram o sol nascer. No dia seguinte, John agradeceu ao cão por ter salvado a sua vida.

Retribuição

Muitos anos depois, o cão se entrega e deixa o seu corpo e a sua vida nos braços humanos amorosos e espera que os atos de companheirismo e compaixão tornem a dor da partida a menor possível.

John Unger não só resgatou a confiança do seu amigo de quatro patas no homem. Com a divulgação do seu momento de ternura captado pela sua amiga Hannah, John resgata a confiança das pessoas na humanidade.

Nos 32 mil comentários que a foto recebeu até agora há relatos de pessoas que se emocionam ao lembrar-se de cães, gatos, pássaros e tantos outros bichos de estimação queridos, e tantas outras pessoas, pais, mães, filhos, filhas e amores que foram amados durante toda a vida e amados até os últimos momentos, e sempre que possível, confortados para enfrentar a derradeira fronteira da vida.

Que Shep leve com ele todo o amor de John. Que carreguemos conosco todo o amor que nós, homens e mulheres, enquanto estivermos vivos, podemos dar a outros seres vivos.
Hannah Stonehouse Hudson / Stonehouse Photography
Post Relacionado:
Reconto de uma história da tradição oral adaptada para tentar suportar a partida de uma companheira canina.:

Foto: Gregory Smith /Children At Risk Foundation – CARF Brasil
Referências

Imagens:

Informações e depoimentos contidos no texto:

Extra Globo.com:

Que fofura! Cão de 19 anos dorme no colo do dono em lago, e foto vira hit na internet

Animal Tracks on Today:
Website John & Schoep:

11 Comentários selecionados em várias línguas (dentre os milhares) no facebook:
Rafael Lopes amor de verdade ao seu fiel amigo!
Katsura Wakabayashi life is wonderful. I feel true trust and true love in this picture.
Monica Saura Fanella Eso es amor puro
Daniel Vargas Farías Esta foto y esta historia me traen el recuerdo de mi perro Gaspar que ya no esta conmigo, pero que me dejó su amor incondicional.
Ninet Salvadores la foto habla por si sola. El amor impacta al alma.
Moises Sequera Esta imagen tocó mi corazón, e incluso sin siquiera saber la historia detrás de la misma, es hermoso la forma en que John le devuelve el amor a Schoep, está imagen es grandiosa de verdad, muy conmovedora, ahora cada vez q veo a mis perros les digo vamos al lago superior, y les hago cariño. XD
Samuel Román Morales Moving story.
Andree Lauzier wouaou, c'est la plus belle marque d'amour que j'ai jamais vu!
霜牧琳 感人的画面~
Sander Frijters Onvoorwaardelijke liefde... Straalt er vanaf, heel mooi... Ik jat deze foto even .. Raakt
Franziska Schleyer I love it - it gives me hope.

Apoie ONGs e pessoas que salvam animais abandonados:

Página Contar Histórias no facebook:
 

16 comentários:

Anônimo disse...

Que grande exemplo...
Fiquei emocionada com esta história.
É uma história de vida que merece ser divulgada.
Parabéns pela sua iniciativa de traduzí-la para todos nós. Obrigada.

Valéria Mundim e Prado
Contadora de histórias do
Grupo Descortinando Histórias.

Ross S. disse...

É o amor mais puro e confiável desse mundo! Que bom seria se as pessoas tivessem esse amor pelos animais...eu sei que alguns têm, e muito...mas precisamos de mais pessoas amantes dos animais. História linda...me fez lembrar dos meus animais que já foram...

Wagner disse...

Nossa!... Que história maravilhosa!

Anônimo disse...

muito linda essa historia...me emocionei!

Fabio Lisboa disse...

Agradeço os sensíveis comentários Valéria, Ross, Wagner e pessoa anônima, gostaria que soubessem da historia real que aconteceu comigo ontem:
O resgate da Branca de Neve: vi cadela ser atropelada na chuva na Av. Corifeu de A. Marques, próx. a USP ontem (9-3) e o/a motorista foi embora deixando a pobre estendida na avenida. Levei-a num veterinário e a sortuda não quebrou nada e está bem, apesar de ainda estar mancando, ela aparenta ter uns 6 anos e com certeza vai se recuperar. Como tenho duas gatas e nem sempre tem gente em casa não tenho condições de ficar com ela. Se alguém quiser adotar esta princesa (ou conhecer alguém que queira) por favor, me ligue no 9 9393-4503. Grato, abs, Fabio Lisboa

Vou colocar fotos dela no facebook (trate-se de uma vira-lata-quase-beagle) de uns 9 quilos:

Contar Histórias no Facebook
http://m.facebook.com/pages/Blog-Contar-Histórias/334958753184613?id=334958753184613&_rdr

http://www.facebook.com/people/Fabio-Lisboa/100000492903594

EVANI disse...

Oi Fábio, essa história já é uma coisa fofa , mas da forma que foi "recontada" por voce, ficou ainda mais linda.
Tomei a liberdade de fazer uma postagem sobre ela e citei seu blog,
segue o link.
http://contasemais.blogspot.com.br/2013/03/john-unger-e-schoep.html
Parabéns pela maneira especial de recontar...
Evani :)

Fabio Lisboa disse...

Grato por dar o link e avisar Evani e parabens pelo blog!

Fabio Lisboa disse...

A História da Branca de Neve com Final Feliz
Branca de Neve era na verdade uma cadela de 13 anos chamada Pinky! Ela saiu de casa 5 dias atrás num dia de chuva, se assustou com os trovōes e se perdeu. A Bea e sua família foram atrás de sua velha amiga de quatro patas mas não a encontravam. Ela foi atropelada, arremessada há mais de 2m e largada no meio da avenida Corifeu de Azevedo Marques. Parei meu carro e levei-a a um veterinário. No começo eu e a Pinky achamos que estávamos sozinhos. Mas já no caminho percebemos que não. À distância, minha esposa Maria Paula me guiou até o Animal Health Hospital Veterinário 24h onde a pequena sobrevivente foi (e vem sendo) muito bem tratada e ficou constatado que por um milagre ela não quebrou nada e continua até aqui vencendo a morte! Minha amiga Cintia Arantes (criadora da Anjinhos de Quatro Patas) me ajudou, as protetoras de animais Berta e Daura também. Quem já havia resgatado animais me inspirou (Rosita, Fabiane, pessoal da Adote um gatinho, dentre tantos outros q nao caberia aqui.). Fico grato ao biker transeunte Thiago que parou pra ouvir a história da Branca de Neve e me apresentou ao Mikael e sua Ong Mapaa disposta a cooperar. Agradeço tb a todos que compartilharam a história pra que ela encontrasse quem quisesse ouvi-la. Agradeço em especial a ajuda do casal que compartilhou o seu lar com uma cadela SRD-quase-beagle, Marcelo e Monica, esta que em suas buscas (nao so andando pela região como navegando pela internet) encontrou enfim quem tanto queria se reencontrar. Como a personagem dos contos de fadas, a Pinky escapou da morte por um triz. E tudo não só graças a sua vontade de viver (que ela vive sem nunca ter mordido ninguém, sem raramente latir, sem muito pouco ganir mesmo aguentando a pressão da dor), graças a pessoas que, como Branca de Neve, cuidam de todo e qualquer tipo de ser humano ou bichinho e buscam para todos, diariamente, finais felizes!

Abraço encantado,
Fabio Lisboa

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Fabio
Venho lá do blog da Evani e adorei a historia, muito emocionante, ninguém entende o que é o amor a um animal sem conviver com um.
Adorei tudo por aqui e fiquei super feliz em conhecer este espaço e ler o final feliz da Branca de Neve.
Uma ótima semana. Abraços.

Aqui tem uma historia bem legal que aconteceu na minha cidade Muaná-Pará.
http://eternamentevv.blogspot.com.br/2013/01/o-que-voce-faria-por-um-amigoa.html

Fabio Lisboa disse...

Olá Verinha, obrigado pelo comentário e link. A história verídica do Aleson e da Princesa é realmente linda e a versäo contada por você é emocionante!

Anônimo disse...

lindo

Sonia aparecida jaques disse...

Sonia Aparecida Jaques
POR FAVOR LEIAM!!! PRECISO DE AJUDA... meu nome é Sonia e estou desesperada. A um ano adotei um cãozinho, ele era de um vizinho mas tava largado na rua, dava muita dó de ver o pobre animalzinho tão triste na rua comecei a trata-lo e mesmo sem muitas condiçoes acabei ficando com ele. Pois aqui em foz do iguaçu a unica ong que cuidava de animais foi interditada. Eu amo animais principalmente cachorros, porém não queria arrumar um naquele momento por medo de diante de algum problema de doença eu não ter condições e é o que está acontecendo. O ferrugem esse é o nome do meu cachorro, vinha apresentando um problema no orgão genital a algúm tempo, consegui pagar uma consulta e tinha esperança de que fosse uma simples infecçaõ que passaria remédio e resolveria no entanto o diagnóstico foi outro. TVT tumor venéreo transmissível, o tratamento é feito através de quimioterapia e fica em torno de 900 reais todo o tratamento, porém eu não tenho condiçoes. Sai do veterinário aos prantos e fui atrás de conseguir ajuda em uma faculdade onde tem curso de veteriária porém não consegui, eles não fazem esse tipo de tratamento. Fiquei sem chão, pois o ferrugem é muito amado, ele é um cachorro incrível e muito obediente. está com dois anos etem toda a vida pela frente, se for tratado porém se não for o tumor cresce até mata-lo o que eu venho é pedir a ajuda de quem puder e querer me ajudar com alguma ajuda financeira que pode qualquer valor pra poder salvar meu amigo ferrugém. squem puder me ajudar pode se comunicar comigo por e-mail que envio as fotos dele mostrando o problema por favor não estou brincando estou recorrendo a todos os meios para salva-lo. meu email é sonia.a.jaques@gmail.com e minha conta é da caixa econômica federal ag: 3976 operaçao 013 cp 00014467-0 quem puder me ajudar serei muito grata e pessoa mais feliz do mundo desde já agradeço pois tenho fé que vou conseguir.

Fabio Lisboa disse...

Ola Sonia, tente a ONG Mapaa, tel 11 3266-4052, fica em SP, mas eles tem contato com ONGs por todo o Brasil, quem sabe eles conhecem alguma proxima a vc q possa ajudar o Ferrugem! E parabens pelo resgate e busca por cuidar do melhor jeito possivel do seu cao, abs

izzy laura disse...

historias como essa devem ser contadas,recontadas e publicadas,pra ver se derrete o gelo do coração humano e ver que ainda há uma salvação pra gente,e que todos os seres vivos podem viver em perfeita harmonia,homens e animais ou homens e homens,não precisam se matar disputando o mesmo espaço!!!

Elder Rosa disse...

Esta história tem tudo para virar um filme como 'Marley e Eu' o que achas?Muito linda,e com certeza eu não perderia o filme de jeito nenhum!

Camila Marinho disse...

Eu e meu marido, temos um Husky de 5 meses. Estávamos em crise, quando resolvemos ter um cachorro. Foi quando encontramos o Bolt.
Bolt chegou para alegrar nossas vidas, o comparamos com o Marley (do filme Marley e eu), todo atrapalhado mas principalmente ama dar carinho e tem todo o carinho e amor do mundo.
Pagamos para ter Bolt, e pagamos para ele viver. Pois o estado que ele se encontrava (doente e mau tratado) se fiz algo por ele, me sinto muito bem hoje quando o vejo forte e feliz.
Nem imagino quando ele ficar mais velho. 19 anos é muito, mas não é o suficiente para ficar conosco.

Postar um comentário