Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Qual o momento exato em que a noite termina e o dia começa?



História da Tradição oral - Reconto: Fabio Lisboa

Esta é a pergunta que fez o sábio mestre aos seus aprendizes enquanto o dia se despedia do sol e os mistérios do mundo ganhavam os ares: - Qual o momento exato em que a noite termina e o dia começa para todos?

Os jovens pensamentos voam longe e, antes das estrelas aparecerem, as respostas apontam para várias direções:

- O dia começa quando o sol nasce...

- Sim, mas qual o momento em que a noite termina e o sol nasce para todos? – instiga o sábio.

- Impossível mestre, essa hora nunca chega pois a terra é redonda, então alguém no mundo vai sempre estar na escuridão.

- Pois eu lhes garanto que é possível.... – insiste o professor ancião.


- Já sei, mestre, a resposta pode abranger a todos mas não começa em todos e sim em um só, pois o dia começa no exato instante em que abro os olhos.

- É um bom começo. Mas o que vê? É o que cada um conseguirá ver que vai determinar o momento exato em que a noite termina e o dia começa...

Ao ouvir isto, cada aprendiz foi dizendo o que era capaz de imaginar:

- É quando reconhecemos, de longe, a diferença entre uma mulher e um homem.

- É quando conseguimos reconhecer, de perto, a diferença entre um homem branco ou negro.

- É quando reconhecemos, ainda mais de perto, a diferença entre uma mulher simples ou poderosa.

- É quando reconhecemos a diferença sutil, até mesmo interior, entre um homem que carrega um crucifixo no peito ou não.

A primeira estrela desponta no céu no exato minuto em que o mestre oferece sua palavra a quem queria ver o mundo com outros olhos:

- A resposta que pode nos iluminar não é quando enxergamos as diferenças e sim as semelhanças. Quando reconhecemos que somos iguais, sendo homem ou mulher, tendo a cor da pele diferente, sendo rico ou pobre, tendo religiões diferentes; quando abrimos os olhos e nos reconhecemos como irmãos e irmãs - este sim - é o exato momento em que a noite termina e o dia começa.


Referências

História tradicional entre os contadores de histórias, já ouvi e li versões africanas (contada por Hassane Kouyatè), do oriente médio e extremo oriente, o mestre é ora rabino ora mulá, ora padre ora pastor, ora monge ora apenas professor. Os discípulos falam em diferenças entre animais (como cachorro e uma ovelha) e árvores (como figueira e oliveira). Optei por não definir a religião do mestre e buscar as diferenças entre os humanos que aparentemente mais nos dividem.

Foto
Nascer do sol em Bondi Beach – Australia – by www.aquabumps.com @ http://www.infobarrel.com/Media/Bondi_Sunrise

História sobre igualdade e amor

Música sobre igualdade e paz

Histórias sobre o tema da consciência negra
Para leitores iniciantes ou em processo:
Menina Bonita do Laço de Fita – Ziraldo
O mistério de Zuambelê – Tom Zé
O cabelo de Lele - Valéria Belém

Para leitores avançados e críticos:
O olho mais azul (The Bluest Eye) - de Toni Morrison
Quando tudo se desmorona (Things fall apart) - Chinua Achebe

Vídeos:
Filmes (contos de fadas, lenda africana e documentário) sobre ver além das aparências
A bela e a fera (Disney, 1991)
A princesa e o sapo (Disney, 2009)
Kiriku e a feiticeira (Michel Ocelot, 1998)
Promessas de um mundo novo (Saphiro, Goldberg, Bolado, 2001)

Discurso sobre o tema da consciência negra, igualdade e paz
MARTIN LUTHER KING JR. I HAVE A DREAM (EU TENHO UM SONHO) (trecho final do discurso em vídeo LEGENDADO)


Palestra sobre o tema da consciência negra, comunicação e a influência do ponto de vista nas narrativas

Nós teamamos - Irã e Israel (Movimento Pacífico)
Imagem postada no facebook que se espalhou pelo mundo, virou Vídeo, que virou Movimento Pacífico. Criado por Ronny Edry, um pai de família e cidadão de Israel, 41 anos, que resolveu se pronunciar contra a escalada da violência nas esferas políticas, militares e midiáticas e demonstrar seu amor por iranianos, e fazer um apelo às pessoas para que ajudem a difundir essa mensagem e conscientizar a humanidade de que nós não queremos guerras... israelenses, iranianos, o mundo todo quer paz!

1 comentários:

Yohana Camelo disse...

Adorei!
Já tive este livro dos contos africanos que vc da como referencia. É muito interessante.

Postar um comentário