Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Rotina, limites e verdade ao educar

Projeto ABC: Aprender, Brincar, Cuidar / Tema 4: Crie um mundo previsível para o seu filho


A importância de se sentir seguro, em um mundo confiável
À medida que as crianças crescem é necessário que os adultos que cuidam delas estabeleçam regras e normas sobre aquilo que pode e deve ser dito ou ser feito. As crianças precisam de limites claros e objetivos, colocados com segurança e na hora certa, pois eles servem para ajudar os pequenos a tomar decisões corretas, a desenvolver o autocontrole e a cuidar de si mesmos respeitando os outros. Em outras palavras, os limites servem para ajudar as crianças a desenvolver a sua autonomia e se socializarem de forma saudável.

Para tanto, é importante o uso de métodos educativos não-violentos baseados em bons exemplos de palavras e atitudes, pois, como sabemos, as crianças pequenas aprendem imitando os pais e/ou cuidadores. Além disso, é muito importante que os adultos que educam crianças sejam capazes de sentir empatia por elas, ou seja, sejam capazes de compreender o seu ponto de vista e respeitá-lo, na medida do possível. Para isso, o diálogo é fundamental.


As crianças educadas com bons exemplos e empatia aprendem que as suas necessidades serão satisfeitas de forma consistente e previsível. Ou seja, aprendem a estabelecer laços de confiança com os seus pais e/ou cuidadores.  São esses os laços que fundam as bases para um ambiente familiar respeitoso e amoroso.

A importância da rotina para as crianças
A rotina se refere à organização dos horários para a realização das diversas atividades que as crianças precisam cumprir a cada dia. Quando ela é bem estabelecida, gera segurança, diminuindo a ansiedade e a desorientação. Além disso, uma rotina bem planejada ajuda na formação de bons hábitos. E quando os bons hábitos são incorporados, castigos e agressões não são necessários.

No início, manter a rotina pode ser difícil, mas a perseverança por parte dos pais e/ou cuidadores contribuirá para essa adaptação. É bom lembrar que não adianta querer estabelecer uma rotina para as crianças e para a casa, se os adultos não a respeitarem.

Cada família estabelece suas regras e normas. Algumas podem ser negociadas, outras não. Da mesma forma, cada família deve usar o bom senso para estabelecer a sua rotina.  Mas, em geral, ela envolve os momentos de acordar, se alimentar, brincar, ter hábitos de higiene, dormir etc.

Os pais e/ou cuidadores precisam deixar bem claro para a criança o que pode e o que não pode ser feito. Conforme a criança cresce, a arrumação e organização do espaço também podem fazer parte da rotina, pois ela pode ajudar a guardar seus objetos de uso pessoal e seus brinquedos. Quando a criança iniciar sua vida escolar, a hora de ir para a escola e de fazer os deveres escolares também deverão fazer parte da rotina.
Os finais de semana e os feriados também devem ser incluídos na rotina, tomando-se o cuidado para que nesses dias haja períodos em que a criança tenha a liberdade para escolher quais atividades realizar.

A rotina não deve ser vista como rígida e estática. A flexibilidade é importante desde que não signifique burlar as regras, pois os “combinados” deverão ser levados em conta na maior parte do tempo.
Quando for necessário mudar a rotina, é importante que a criança seja informada. Entretanto, essa informação não deve ser dada com muita antecedência, para não gerar expectativas.

A importância de falar (e agir) com verdade
É apenas por volta dos 4 ou 5 anos que as crianças começam a ter noções de responsabilidade, direitos e deveres, ou seja, começam a ter noções de ética. Entretanto, é importante que os pais e/ou cuidadores comecem a educá-las para os valores desde cedo, pois esse aprendizado demanda insistência, paciência e dedicação.

A melhor maneira de ajudar uma criança a compreender valores abstratos como responsabilidade, honestidade e gratidão, é por meio dos bons exemplos. Ao invés de apenas falar como a criança deve agir, os adultos também precisam agir de forma adequada. Dizer uma coisa e fazer outra confunde as crianças e promove situações de confronto.

Outro modo de ensinar valores às crianças é por meio de histórias infantis ou contos de fadas. Eles ajudam a criança a se identificar com personagens e aprender com eles. Além disso, é muito importante sempre falar a verdade para as crianças. É por meio desse exemplo que elas aprenderão que é melhor ser honesto do que mentiroso.

O aprendizado de valores é importante para que as crianças enfrentem desafios com segurança e que tenham consideração pelo Outro, ajudando a transformar o mundo num lugar melhor para todos!

Consulte:
Postagem introdutória sobre o projeto
Histórias selecionadas para o projeto.
Mais informações sobre os parceiros idealizadores e realizadores do projeto ABC: Aprender, Brincar, Cuidar:
Foto: Tetra Imagens/Gettyimages

Mais informações sobre a autora desta postagem: Eliana Pougy 

1 comentários:

Anônimo disse...

Minha filha estuda demanha, estou tendo dificuldade de introduzir uma rotina q tenha tdas as responsabilidades e nao fique pesada demais, vc tem alguma sugestao de modelo? Obrigada. Adriana

Postar um comentário