Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

História: Os Gravetos da Discussão

Foto: Donald Vish – Iroquois Woods



Conto Iroquês recontado por Fabio Lisboa

Os antigos indígenas iroqueses tinham o costume de usar os gravetos da discussão para resolver conflitos.

Um dia, há muito tempo, dois garotos iroqueses discutiram tanto que quase chegaram a se estapear por causa da sua acalorada argumentação.

Cada pai de cada garoto tomou o partido de seu filho e uma antiga amizade entre as famílias estava prestes a se esfacelar. Os adultos que se envolveram na discussão estavam quase pegando em armas para decidir quem estava com a razão.

As avós dos garotos se lembraram que a disputa deveria ser decidida pelos gravetos da discussão. Na montanha.

Todos da tribo subiram até o alto da montanha pois os mais novos não se lembravam deste antigo costume e queriam saber como era. A cada um dos dois meninos briguentos foi dado um graveto. Uma das avós segurou um terceiro graveto no chão, na vertical, dizendo:

- Agora cada um coloca o seu graveto voltado para o norte ou para o sul e encostado neste meu.

Assim fizeram os meninos, formando um tripé de gravetos.

- Muito bem, se o tripé de gravetos tombar para o sul, o menino que pôs o seu graveto voltado para o sul tinha razão e vence a discussão. Se o tripé tombar para o norte, o outro, que pôs o seu graveto voltado para o norte, vence.

- Mas isto só será decidido daqui a nove meses. Até lá, ambos, meninos e suas famílias, devem ficar em paz.

A outra avó concordou com a cabeça. E acrescentou:

- Nem os dois meninos, nem ninguém mais, deve mencionar o conflito e só depois de nove meses é que os dois, sozinhos, devem voltar ao local.

Todos acharam estranha aquela forma de decidir um conflito mas concordaram com aquelas mulheres mais velhas e decidiram “esperar pra ver”.



Dali nove meses a maioria das pessoas já havia se esquecido da disputa. No entanto, os meninos, se lembraram dos gravetos e subiram juntos a montanha.

Chegando lá, havia gravetos espalhados por toda a parte, em todas as direções, uns estavam cobertos por musgos ou podres, outros haviam acabado de cair das árvores, os garotos não conseguiram lembrar-se ou encontrar quais gravetos eles haviam deixado lá em forma de tripé.

Pensando bem, nem adiantaria encontrar, pois também não conseguiram lembrar quem tinha deixado o seu graveto voltado para o norte e quem tinha deixado o seu para o sul.

Pensando bem, não conseguiram nem lembrar qual tinha sido o motivo da discussão.


Nestes nove meses de trégua, já haviam voltado a ser amigos e desceram a montanha correndo, mais companheiros do que nunca. Explicaram a todos que os gravetos da discussão podiam mesmo dissolver conflitos. Muito tempo depois, ensinaram o costume a seus filhos e netos.


Conto Iroquês abordando a Cultura de Paz – Reconto: Fabio Lisboa

Foto:

Posts Relacionados:

História: Dois Lobos dentro de mim

História: O Céu e o inferno - O monge e o samurai

Contadores de Histórias: Artistas Rupestres das Palavras

História: A quem pertence a terra



0 comentários:

Postar um comentário