Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Oficina de Contos (história real): A mensageira


Conto, logo existo – este é o título de uma oficina de Contos Terapêuticos ministrado pela sensível contadora de histórias “luso-brasileira” Clara Haddad. Neste encontro, ocorrido em São Paulo em outubro de 2014, quando convidados a contar uma história do ponto de vista de um objeto querido, o mini conto da psicóloga Kitty Haasz à respeito de algo que veio ao seu encontro num Ashram (templo indiano), há quase 10 anos, me chamou a atenção tanto pela leveza das imagens quanto pela profundidade dos conceitos. A psicóloga Kitty, um silencioso Swami (Mestre Hindu) e um inusitado narrador são os personagens desta experiência real.

E a autora aceitou o convite em deixar as suas palavras aterrissarem por aqui:


A mensageira

Foi em dezembro de 2006, quando Kitty veio por primeira vez ao Ashram onde eu vivia no corpo de uma linda pomba e ficava bem no alto enquanto as músicas tocavam, os mantras eram cantados, as pessoas todas meditavam...e eu... eu voava.
Do alto, todos nós obedecíamos à Energia Amorosa presente nesse lugar Sagrado.
O Mestre entrou e se sentou.
Todos meditavam em profundo silêncio.
O Mestre ouvia os pensamentos, os pedidos e os agradecimentos de todos...
E Kitty, por primeira vez no Ashram, no silêncio da sua meditação, perguntou:
"Swami, como vou saber que você realmente me escuta?
E eu me soltei da linda pomba e planei, lentamente, até pousar na perna dela.
Eu, mensageira da Escuta.

Por Kitty Haasz

Foto: A pena mensageira original no álbum de viagem de Kitty

Referências
Kitty Haasz é psicóloga, psicoterapeuta,  os contos sempre estiveram presentes no seu trabalho de consultório. Trabalha também com grupos de 3a idade "Reinventando a Vida", e foi a madrinha do grupo Era uma Vez, que ajudou a constituir. Contato: kittyhaasz@globo.com Tel: (11) 3663 2263 (consultório).

Foto (no topo do post):


Posts Relacionados

Contos, simbologias e saúde mental


Mantenha-se conectado ao Contar Histórias no Facebook: 

0 comentários:

Postar um comentário