Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à empatia, mediação de leitura, educação, brincar, sustentabilidade e cultura de paz.

História: Pode ser bom ou pode ser ruim

 

Arthouse studio free license by pexels recriado em Dream Studio IA


Reconto: Fabio Lisboa

 

No tempo em que cavalos selvagens povoavam a China, morava em sua próspera fazenda, o sr. Liang – que na língua chinesa quer dizer “brilhante” - um sábio fazendeiro que encarava a vida com tamanha simplicidade que gostava de espalhar apenas um ensinamento - algo que havia aprendido há muito tempo, com um mestre mais velho que o próprio tempo – que nada mais era do que uma frase que adorava repetir nos mais variados acontecimentos.

 

Uma vez o filho do Sr. Liang conseguiu capturar e trouxe até o curral da fazenda da família um cavalo selvagem. Os amigos de Liang perguntaram a ele:

 

- O seu filho foi esperto e trouxe um novo cavalo para a fazenda, o que achou disso, Sr. Liang?

- Pode ser bom ou pode ser ruim, mas tenho esperança de que seja bom – respondia ele, oferecendo o frescor do seu principal ensinamento a quem tivesse ouvidos para ouvir.

 

Claro que muitos pensavam, como poderia ser ruim: um cavalo vale muito dinheiro! No entanto, após uma semana, ainda adaptando-se a nova vida, o cavalo fugiu. Foram perguntar novamente:

 

- O cavalo fugiu, o que achou disso, Sr. Liang?

- Pode ser bom ou pode ser ruim, mas tenho esperança de que seja bom – respondeu ele.

 

Obviamente, muitos pensaram: - como pode ser bom: o filho do Sr. Lyang traz um belo cavalo e agora perdem o infeliz. O que não sabiam é que o cavalo estava muito feliz com o pasto enorme, com o tratamento que recebeu e contou a outros cavalos que tinha comida boa, até no invernoç já no calor, sombra e água fresca, tudo tranquilo e sem problemas, naquela fazenda. Então, depois de poucos dias, bastou o filho do Sr. Lyang abrir a porteira para uma manada de cavalos selvagens entrar e, desta vez, as porteiras já haviam sido reforçadas, para ninguém fugir.

 

- E agora, do dia para a noite, ganharam uma manada inteira, o que achou disso, Sr. Lyang? 

 

Bem, todos já sabemos o que ele respondeu: - Pode ser bom ou pode ser ruim, mas tenho esperança de que seja bom.

 

De novo, os vizinhos e amigos pensaram que o Sr. Lyang estava sendo muito simplório pois como poderia ser ruim, a fazenda com tantos novos cavalos?

 

Acontece que com tantos cavalos recém-chegados, até o filho do Sr. Lyang foi ajudar a domar os cavalos e poucos dias depois da manada chegar, um cavalo deu um pinote, derrubando o rapaz que acabou quebrando a perna.

 

- E agora, o que achou disso, Sr. Lyang? Não é possível que vai dizer que pode ser bom o seu filho ter quebrado a perna?

- Bem, neste caso, pode ser bom ou pode ser ruim, mas tenho esperança de que seja bom.

Bem que as pessoas começaram a achar que o Sr. Lyang não era tão sábio e tampouco o tal mestre ancestral com quem aprendera a tal frase. Isto sem saber que, no dia seguinte, estouraria uma guerra na região e todos os jovens foram convocados a entrar para o exército do imperador e ir para o campo de batalha. Todos, com exceção, dos que eram incapacitados de lutar ou de andar, como filho do Sr. Lyang que estava com a perna quebrada.

 

E mesmo, enfim, em vista deste acontecimento, claro que já sabemos a resposta do Sr. Lyang.

E ele continuará respondendo isso para sempre, ou ao menos, enquanto continuarmos recontando este seu conto - e com isso, bebendo desta fonte ancestral de sabedoria que são as histórias.

 

Porque por mais tranquilas ou difíceis que sejam nossas peripécias, ao cavalgarmos pelo caminho, aprendemos que tudo na estrada vida pode ser bom ou pode ser ruim, todavia, com as histórias, teremos eternamente conosco a luz da esperança de que seja bom.

 

Reconto de história da tradição oral chinesa, por Fabio Lisboa

 

Sobre a escrita: Neste reconto, imprimi o toque pessoal do contador de histórias, em especial, no tom bem humorado e na construção do jargão, incluindo, na frase, o elemento da esperança e a luz que vem dela, do próprio sabido fazendeiro e do sábio imortal que são as histórias.

 

Imagem:

Mongolian rider by arthouse studio free license by pexels recriado (transformado em chinês) através do app de inteligência artificial Dream Studio IA

0 comentários:

Postar um comentário