Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

A$$OMBRAÇÕES DA CIDADE

Imagem: Ângela-Lago
Por Ângela-Lago

Se você acha que assombração é coisa do interior, saiba que perto do Cemitério do Bonfim, em Belo Horizonte, tem uma defunta que adora andar de táxi.

Vira e mexe ela aparece jovem e loura, toma um carro na rua e indica o endereço da casa onde morava. Quando chega, avisa que está sem dinheiro e pede que o taxista espere um pouco, enquanto ela vai lá dentro buscar.


O inocente espera. Espera um tempão. Até que, por fim, toca a campainha. A casa parece desocupada. Um vidro quebrado, o mato crescido. Aí a porta range e aparece uma velha, muito, muito velha. Ela escuta a história e balança a cabeça. Depois, busca um porta-retratos com uma tarja, uma faixa preta em sinal de luto. — Esta?

Até hoje ninguém sabe se a foto é dela mesma quando jovem, loura e viva, ou se a loura era filha dela. Mas contam que ela mostra a fotografia sempre com a maior tranquilidade, certa de que não existe taxista com coragem de lhe cobrar.

Trecho do livro:

O CAIXÃO RASTEJANTE E OUTRAS ASSOMBRAÇÕES DE FAMÍLIA
Autor / Ilustrador: Angela-Lago
Leia outros trechos disponíveis em https://www.companhiadasletras.com.br/trechos/41027.pdf


0 comentários:

Postar um comentário