Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Boca do Céu 2012 - Inscrições e Programação do Encontro Internacional de Contadores de Histórias


De 10 a 16 de setembro, profissionais e admiradores da arte de contar histórias se encontram no consagrado evento bianual internacional em São Paulo, com a curadoria da mestra Regina Machado, numa programação que abrange espetáculos, oficinas, palestras, relatos de experiências e mais....

“Era um milagre que alguns dos meus heróis contadores de histórias estivessem ali reunidos naquele mesmo lugar, naquela mesma hora. Isso é o que, claro, faz do Boca do Céu um lugar de grande importância no mapa da arte de contar histórias, porque todos os nossos festivais são encruzilhadas vitais para o renascimento internacional dessa arte.” Dan Yashinsky, 2008 (fonte: site Boca do Céu).

Inscrições Boca do Céu 2012


Para as oficinas: de 20 a 25 de agosto de 2012 (o evento ocorre de 10 a 16 de Setembro).
Para o Restante da Programação: durante o evento (10 a 16 de Setembro) chegar com antecedência no local para a retirada de senhas.
As informações sobre inscrições para contar histórias nos espaços temáticos vão estar no site na semana de 27 de agosto a 3 de setembro.

TODAS AS ATIVIDADES SÃO GRATUITAS.
INSCRIÇÕES SÃO SOMENTE PARA AS OFICINAS.

As inscrições devem ser feitas:
POR EMAIL:
de 20 a 25 de agosto de 2012

ou

POR TELEFONE:
(11) 3222-4683
de 20 a 24 de agosto de 2012 das 13h as 20
e 25 de agosto de 2012 das 10h as 17h

A partir do dia 01 de setembro de 2012 verifique aqui a LISTA DOS SELECIONADOS para cada OFICINA e respectivas listas de espera.

 Inscrição para as Oficinas dos Convidados Estrangeiros
(É necessário enviar carta de intenção, especificando sua experiência como contador(a) de histórias. Todas as oficinas dos estrangeiros terão tradução consecutiva.)

Local 1:
Oficina Cultural Oswald de Andrade
Endereço: Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro
São Paulo - SP - CEP: 01123-001
Tel: (11) 3221-5558 / 3222-2662

Local 2:
SESC Bom Retiro
Algumas das apresentações de histórias serão realizadas no teatro e na praça central do SESC Bom Retiro, que fica localizado a 1km da Oficina Cultural Oswald de Andrade. A unidade do SESC foi inaugurada em agosto de 2011 e seu teatro tem capacidade para 291 pessoas.

Endereço: Alameda Nothmann, 185. Bom Retiro
São Paulo - SP - CEP: 01216-000
Tel: (11) 3332-3600

Conheça abaixo os eixos temáticos e convidados internacionais e visite o site do evento para conferir os contadores de histórias convidados nacionais e a programação completa: http://www.bocadoceu.com.br.

Eixos temáticos
Boca do Céu 2012 - 10 a 16 de Setembro

Em 2012 cinco eixos de conteúdos organizam as atividades programadas, concebidos como eixos que se entrecruzam como linhas, formas e cores que, num movimento de vai e vem, criam um grande tapete. Assim como numa espécie de tapete mágico, o que se concretiza não é um único desenho, mas figuras possíveis e impossíveis que se realizam a cada instante no olhar de cada pessoa.

O eixo SABENÇAS TRADICIONAIS traz a presença da transmissão oral que ordena e dá sentido às culturas cujo conhecimento permanece vivo de diversas maneiras até os dias de hoje. Escutar e aprender com as pessoas guardiães dessas sabenças abre um espaço de contextualização que dimensiona para os contadores de histórias suas raízes e seu pertencimento ancestral. Dentro desse eixo desdobra-se o diálogo da TRADIÇÃO com a CONTEMPORANEIDADE, foco de muitas interrogações sobre o lugar e a função da arte de contar histórias no mundo atual.

O eixo O CONTADOR DE HISTÓRIAS E O PALHAÇO focaliza a conversa entre dois tipos de performance artística: o que elas têm em comum, o que cada uma tem a ensinar para a outra?

O eixo ARTE NARRATIVA NO ESPELHO refere-se à narração propriamente dita, trazendo a experiência de contadores há muito tempo na estrada, com suas pesquisas e descobertas em relação à arte da palavra oral como forma artística.

O eixo URGÊNCIAS reúne ações de narração de histórias em situações de penúria humana, que têm nos últimos tempos se difundido em hospitais, asilos, abrigos e muitos outros locais onde pessoas estão em condições miseráveis. O que as histórias podem fazer em espaços de grave desesperança é o foco de atenção desse eixo.

O eixo O CONTADOR DE HISTÓRIAS NA ESCOLA é o núcleo de ações dirigidas a educadores e crianças de instituições de ensino, que trata do processo de aprendizagem da arte narrativa. A formação de educadores e alunos por meio da reflexão, escuta e prática da narração oral, mais uma vez, como em todas as edições anteriores, é parte fundamental dos objetivos do Boca do Céu.

O contador de histórias pode então ser alguém que aprende a ser um artista escutando a palavra da sabedoria ancestral, perguntando como pode criar sua marca num momento que é o seu, hoje, conversando com a habilidade de improvisação técnica do palhaço, levando sua atenção para as urgências do nosso mundo. O movimento de transitar por essas instâncias de conhecimento em seus inúmeros feixes de relações constitui o processo de formação e pesquisa de cada contador de histórias, na sua particularidade inventiva, na sua contribuição pessoal para a perene corrente de transmissão da arte da palavra falada.

Uma arte que existe desde o começo dos tempos, que viaja pelas épocas e lugares da humanidade, e permanece viva onde há prosperidade e no meio dos escombros. E que estará presente com o último ser humano, depois que ele sair e apagar a luz.

Convidados Artistas (contadores/autores) Internacionais:

César “El Wayqui” Villegas

Nasceu no Peru. É narrador de histórias e há 12 anos investiga e partilha contos antigos com o sabor do presente, histórias que viajam no tempo e escondem riquezas que se descobrem no interior de quem as escutam. De sua palavra renascem imagens e sensações que nos permitem com sensibilidade, humor, fantasia e realidade conhecer a tradiçao popular de diversos povos do Peru e do mundo. É consultor de gestão e aplica a narração oral como ferramenta de gestão em diversas organizações e empresas. Apresentou-se e deu cursos em Festivais Internacionais, feiras de livro, espaços de narração oral e outros em 17 países: Alemanha, Argentina, Brasil, Bélgica, Colômbia, Cuba, Chile, Equador, Eslováquia, Espanha, França, Hungria, Itália, México, Peru, Portugal e Suíça. Dirige a associação cultural Wasi e fundou a primeira escola de narração do Peru. É diretor do Festival Internacional de Narração "Todas las palabras, Todas”, o primeiro evento deste tipo que conta com o patrocínio do Ministério da Cultura peruano, assim como de importantes empresas e organizações. Foi produtor da série de TV e Rádio: “Rimaq Mayu” (Rio de palabras), que reune diversos narradores apresentando histórias da tradição oral peruana. Para saber mais: www.facebook.com/WayquiPeru

Ludovic Souliman

Nascido na região metropolitana de Paris, Ludovic Souliman tem o conto como uma paixão que se confunde com a sua vida desde os seus dezoito anos, e isso já faz vinte e oito anos. Como um incapturável jardineiro e viajante Pequeno Polegar, ele colhe e segue semeando contos e narrativas de vida, grãos de humanidade e de memória. Há mais de doze anos desenvolve igualmente projetos de coleta de narrativas de vida. Ideia que nasceu do seu desejo de ir mais longe no encontro com o outro, na escuta da narrativa que carrega e pela qual deixa o rastro único da sua oralidade e memória. Paralelamente aos seus projetos e espetáculos, Ludovic Souliman oferece oficinas de iniciação e aperfeiçoamento da arte de contar, oficinas de “escrita-oral”, assim como, oficinas de Poesia Slam. Ele criou com Luc Devèze a Compagnie du Cri de l’Aphone (Companhia do Grito do Afônico) e juntos produziram uma dezena de espetáculos. Desde 2003 participa como formador no quadro do Festival Yeleen em Burkina Faso ao lado de artistas como Jiwad Darwich, Toulmani Kouyaté, Françoise Diep ou Pierre Rosat. Desenvolve junto a Maison de La Parole, com Hassane Kouyaté em Burkina Faso e na França, diferentes projetos culturais e solidários no quadro do projeto Anoumayé, projeto em que foi o mentor. Do encontro com Suzy Platiel, etno-linguista africanista, surgiu o projeto Conte outil d’Humanité (Conto instrumento da Humanidade) e a proposta pedagógica Continente dos imaginários, cujo objetivo é de ajudar e formar pessoas para recriar o espaço do conto na vida moderna. Atualmente ele está como artista residente na cidade de Vitry sur Seine no Val de Marne compondo o quadro do projeto Graines de memoire (Grãos de memória) no qual integra a palavra do conto tradicional à narrativas de vida. Em outubro de 2011 Ludovic Souliman lançou pela editora Albin Michel o livro Les mille et une vies.
  
Catherine Zarcate

Contadora de histórias profissional desde 1979, Catherine Zarcate faz parte da « primeira geração » de contadores que iniciaram o renouveau do conto na França. Improvisadora incansável, ela se enriquece junto a cantores e dançarinos contemporâneos e conta como se canta um raga: durante noites inteiras, nunca com as mesmas palavras (O Rei Salomão e a Rainha de Sabá, O romance de Antar, Bazar Noturno, Exploradores de Mundos). Mulher presente em seu mundo, ela cria a palavra contemporânea que marca sua geração (Filhos do Vento). À procura do equilíbrio, cultiva os contos chineses (Contos de Jade, O macaco peregrino). Sensível à profundidade humana, interroga nossa relação com a natureza e se abre para os mitos (Krishna Lila, A busca de Isis). Sua escolha essencial: unir, a cada narração, profundidade e humor.
Para saber mais: www.catherine-zarcate.com


Eric Maddern

Nasceu em Whyalla, uma pequena cidade do sul da Austrália. Escritor, músico, dançarino, consultor em comunicação e contador de histórias, estudou teatro e psicologia social na Universidade de Sheffield, na Inglaterra. Após se formar, viaja por dois anos e estuda dança, voz, teatro, massagem yoga e meditação na Califórnia antes de voltar para a Austrália. Ali, é levado a trabalhar com comunidades aborígenes do centro do país. A experiência – que durou quatro anos – deixou-o fascinado com as noções indígenas do Sonho, da Terra Sagrada, dos Ritos de Passagem. De volta à Inglaterra, Maddern faz apresentações sobre os aborígenes da Austrália, que o acompanham em algumas performances. A narração de histórias começa mais tarde, com Maddern fazendo mais de 50 apresentações em sítios históricos do patrimônio inglês como os círculos de pedra, fortalezas, ruínas romanas, abadias, castelos e mansões. Desde então, ele percorre escolas, bibliotecas, galerias de arte, florestas, museus, prisões e festivais internacionais contando histórias e cantando. Eric Maddern mora atualmente no norte do País de Gales, onde fundou o retiro Cae Mabon numa típica casa céltica de pedra, espécie de Local Sagrado onde são exploradas as possibilidades de desenvolvimento de Rituais de Passagem contemporâneos para jovens.Para saber mais: www.ericmaddern.co.uk

Hassane Kouyaté

Nasceu em Burkina Faso, país da África Ocidental, de uma família de menestréis (griots). Cantor e defensor da cultura tradicional de seu povo, os mandingas, é contista, ator de teatro, músico, bailarino e diretor de teatro. Começa sua carreira artística atuando em várias companhias de teatro africanas e, em seguida, passa a atuar no teatro europeu. Atualmente, é diretor artístico da companhia Dois Tempos Três Movimentos, em Paris, criada por ele e amigos em 1988 para favorecer os encontros entre artistas de diferentes países. Os contos de Hassane são relatos iniciáticos, cheios de humor e sabedoria. Ele interage com o público e estabelece com este uma cumplicidade que o leva a participar do espetáculo. Sucesso junto ao público brasileiro, Hassane Kouyaté se apresentou e ministrou oficinas nas edições de 2006 e 2010 do Encontro Boca do Céu que registraram um número de inscritos muito acima da capacidade de acolhida.
  
Oro Anahory-Librowicz

Oro Anahory-Librowicz é apaixonada por todas as formas da tradição oral. Especialista das canções tradicionais judeu-espanholas, ou ladinas, ensina espanhol na Universidade de Montreal. Oro semeia seus contos aos quatro ventos em francês, inglês, judeu-espanhol e em espanhol, sua língua materna. Já fez apresentações no Canadá, nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Espanha e na Venezuela. Contar é sua maneira de partilhar com o Outro seu próprio patrimônio e sua humanidade. É também a forma que ela encontrou de suspender o tempo, triunfar sobre o cotidiano e tocar o encantamento da vida.

Laura Simms

Premiada e aclamada internacionalmente, Laura Simms é contadora de histórias, escritora e educadora que defende a arte de contar histórias como um ato de compaixão, capaz de levar transformação pessoal e da comunidade. Poucos contadores têm a incrível presença e a voz mágica de Laura Simms. Laura combina histórias tradicionais com narrativas pessoais para adultos e crianças. É pesquisadora sênior no Instituto Internacional da Paz no campus de Newark da Universidade Rutgers [Universidade Estadual de Nova Jérsei] sob os auspícios da UNESCO. Porta-voz da narração como arte de cura, ela apresenta as linhas-mestras e ateliês em conferências, pequenas cidadess, escolas, universidades e eventos comunitários no mundo todo. Membro da Therapeutic Arts Alliance de Manhattan e professora sênior da meditação budista Shambhala, Laura recebeu o Prêmio “Brimstone” para Contadores de Histórias Engajados, o prêmio “Choice” pela melhor coleção de histórias e o prêmio “Vila Sésamo Sunny Days” por seu trabalho com crianças no mundo todo. Trabalha como professora com Terry Tempest Williams na Universidade de Utah, é consultora no projeto ETSU’s CANCER STORIES, e consultora em expressão oral de fundações e ONG’s que fazem intervenções pós-desastres e conflitos. Recentemente, Laura Simms apresentou-se na Cúpula da Paz de Newark e na Conferência para a Paz e os Valores Mundiais em Monterrey, no México. Seu mais recente livro, publicado em junho de 2011 pela Sentient Books, é Our Secret Territory: The Essence of Storytelling [Nosso território secreto: a essência da narração de histórias]. Laura é a mãe do famoso autor Ishmael Beah, com quem profere diversas palestras. Para saber mais: www.laurasimms.com

Fonte: Site oficial Boca do Céu www.bocadoceu.com.br
Mais informações:
(11) 3222-4683

2 comentários:

Neuza Calanca disse...

Adorei! Como faço para participar desses cursos de contadores de história?
meu email:
neuzacalanca@yahoo.com.br

Fabio Lisboa disse...

O Boca do Céu 2014 acontece de 12 a 18 de maio. As inscrições para as oficinas vão de 7 a 14 de abril. A programação e ficha de inscrição você encontra em www.bocadoceu.com.br

Aproveito e convido você a conhecer, curtir e acompanhar a página Contar Histórias no Facebook e o blog onde escrevo semanalmente: http://www.facebook.com/pages/Blog-Contar-Hist%C3%B3rias/334958753184613
www.contarhistorias.com.br
Abraços,

Postar um comentário