Aqui você encontra a arte de contar histórias (storytelling)
entrelaçada à educação, literatura, brincar, educação ambiental e cultura de paz.

Letramento e Meio Ambiente: A Palavra-Semente


Buscando conectar histórias pessoais e da tradição oral
à consciência ambiental

por Fabio Lisboa


As palavras adquirem consciência quando me pergunto:

“Quem sou eu? Por que estou aqui? Para onde vamos?”

As letras se juntam e se arranjam de um certo jeito que formam uma palavra: o meu nome. “Quem sou eu?” Eu sei quem sou e a resposta vem automática na forma desta palavra que é o meu nome. Mas também sei que sou muito mais do que este nome. Tenho uma identidade (que não é só um “número de RG”), uma identidade que diz respeito ao meu corpo, ao meu modo de falar, de me vestir, de me conectar às pessoas e à natureza, de sentir o mundo, meus valores, minha vida de estudos, trabalho, espiritualidade etc.

As palavras se juntam e se arranjam de um certo jeito para formar uma ideia, minha posição no mundo: “Por que estou aqui?”. Novamente uma palavra (aqui) refere-se a algo muito mais amplo do que uma localização física e os “porquês” são do tamanho dos objetivos e sonhos de cada um.

Por aparentemente menor que seja, um “por que estou aqui”, um sonho, uma ideia encerram em si uma tessitura, que se revela quando o sonho sai do mundo dos sonhos e vira ideal, idealização e, algum tempo depois, realização. Quando realizamos algo e olhamos para trás é possível perceber como cada ideia, cada palavra, cada ação ajudou a tecer nossos sonhos e como a realização dos sonhos dependem também do meio ambiente em que vivemos e do apoio que recebemos (e que damos a) outras pessoas que se entrelaçam em nossa história pessoal.

Quando a nossa ideia é comunicada a uma ou mais pessoas ela entra no meio ambiente e se torna mais do que uma ideia. Primeiro, porque se outras pessoas se identificarem com a nossa ideia ela poderá ser quase que infinitamente replicada. Segundo que a nossa ideia no mundo pode também ser infinitamente interpretada, re-significada, realizada e expandida.

Se esta ideia se torna um objetivo a ser alcançado, um objeto de nossa mais alta aspiração, a ideia se torna um ideal. E um ideal compartilhado, se torna um ideal coletivo mais perto do que nunca de ser alcançado. Ora, mais do que nunca está na hora de criar e nos conectarmos a ideias e ideais sócio-ambientalmente justos, pacíficos e sustentáveis.

Os jovens tem grande aptidão para idear e abraçar ideais que alguns “adultos” chamam de utópicos (como os ideais sócio-ambientais). Todos (não importa a idade) tem a chance de (re)escrever o futuro do mundo: “Para onde vamos?”...

Ao traçarmos mudanças de paradigmas - do individualismo para a cooperação, do consumismo inconseqüente para o consumo consciente, da ostentação à simplicidade voluntária, da degradação para a conservação – as sementes, antes de serem plantadas na terra, devem ser plantadas na mentes.

Que das palavras-semente pessoais brotem novas ideias, que germinem novos ideais, que nasçam realizações e floresçam novas palavras, conscientes.

Fabio Lisboa


SERVIÇO:

Letramento e meio ambiente: a palavra-semente
Esta é uma matéria transversal do curso profissionalizante gratuito de “Jardinagem e Conservação Ambiental”. A ideia de trazer a arte literária, da tradição oral e as histórias pessoais à um curso profissionalizante na área ambiental surge do nosso anseio de fazer uma ponte entre o conhecimento técnico adquirido e a comunicação e expansão deste conhecimento em forma de novos ideais.
Idealização: Fabio Lisboa, Manoel José Manoel Rodriguez e Raul Xavier De Oliveira

Realização: Fabio Lisboa

Mais informações:
http://www.fabiolisboa.com.br/
http://reciclzaro.org.br/

Curso Gratuito de “Jardinagem e Conservação Ambiental”

Coordenação pedagógica: José Manoel Rodriguez
Coordenação Geral: Raul Xavier De Oliveira


Resumo:

A Associação Reciclázaro, em parceria com o Projeto Inclusão Social Urbana- Nós do Centro- da Prefeitura de São Paulo e a Secretaria de Assistência Social, oferece aos jovens moradores da região Leste, da cidade de São Paulo, a possibilidade de participarem de uma formação profissional que une teoria e prática voltada para a área ambiental. Trata-se do curso de Jardinagem e Conservação Ambiental promovido no Centro de Formação Profissional e Educação Ambiental (CEFOPEA), instalado no bairro do Belém.

Com carga horária total de 320 horas, o curso aborda questões como horticultura urbana, paisagismo, formação do solo, botânica, compostagem e manejo de pragas e doenças. Todo este conhecimento é vivenciado diariamente pelos jovens na prática durante quatro meses, pois o Centro – que tem uma área de 8.500 m2 – conta com horta, viveiro de mudas nativas da Mata Atlântica, minhocário, composteira, pomar e estufas, ou seja, espaços próprios para os alunos aplicarem tudo o que aprendem em sala de aula.

A formação busca trabalhar de forma transversal diversos temas de cidadania e também orientações para o mercado de trabalho. Nesta última, os alunos aprendem a como elaborar um currículo, postura, dinâmicas para processos seletivos, entre outros assuntos essenciais para os jovens que estão em busca do primeiro emprego.

A proposta é que, após a formação, os jovens estejam prontos para atuarem na manutenção e preparação de jardins, conservação de parques e praças, em projetos de paisagismo e comercialização de produtos e serviços ambientais.

Mais informações:

http://buscajovem.org.br/projetos-em-destaque/profissionais-da-area-ambiental

Contato
Centro de Formação Profissional e Educação Ambiental (CEFOPEA)
Endereço: Avenida Ariston Azevedo, nº10 – Belém – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2081-3673
E-mail: cefopea@reciclazaro.org.br
Blog: http://cefopea.blogspot.com/
Site: http://www.reciclazaro.org.br/

Fotos
No alto 1: No Aniversário do CEFOPEA em 2009, Alfredo, aluno do curso, conta histórias para alunos da rede pública. Foto tirada por Danilo, também aluno do curso.

No alto 2 (Mosaico): Seleção feita pelos criadores do blog CEFOPEA
Foto do Meio: No aniversário do CEFOPEA 2009, alunos transplantam e regam mudas no “cross ambiental”, orientados pelo professor Alessandro.

Abaixo: Turma Manhã 2o sem de 2009:
De pé, da esquerda para a direita: Maria Tereza, aluno ouvinte, Luan, Paulo Felipe, Janaina, Adayr, Alfredo, Paulo Shigueru, Flávia, aluna ouvinte, Danilo. Abaixa, da esquerda para a direita: Océlio, Noemy, Thiago, Edésio, Joca.

0 comentários:

Postar um comentário